Nossa história

Rádio Rural:
A voz da Diocese

Nossa história

"A Emissora de Educação Rural terá por objetivo principal a educação de base, através das escolas radiofônicas, cujos monitores e alunos aguardam a voz de comando para a marcha vitoriosa da erradicação do analfabetismo em toda zona oeste potiguar".

Essas foram as palavras do discurso de Dom Gentil Diniz Barreto, no dia 02 de abril de 1963, inaugurando a Emissora de Educação Rural, pertencendo a Fundação Santa Luzia, da Diocese de Mossoró, na presença do Presidente da República – na época, João Belchior Goulart, do Governador do Rio Grande do Norte – Aluizio Alves, senador Dix-huit Rosado, deputado federal Vingt Rosado, autoridades políticas da época e, claro,  do futuro diretor da emissora, Monsenhor Américo Simonetti.

Uma vez inaugurada, a Rádio Rural passou a desempenhar o seu papel de prestação de serviços à comunidade, com potência de 1 kw, nos primeiros anos, depois com 5 kw a partir de 21 de outubro de 1980 e finalmente com 10 kw desde 15 de agosto de 1986. Enquanto isso, durante vários anos o Movimento de Educação de Base – MEB proporcionou a alfabetização de adultos pelo rádio, deixando esta prática somente a partir dos anos 80, quando optou por uma programação de caráter educativo mais genérico.

A emissora logo ganhou a simpatia do público ouvinte e assim foi líder de audiência na cidade, entre duas outras emissoras AM existentes na cidade naquela época. Nos primórdios, trouxe grandes shows populares com artistas de renome nacional como Núbia Lafayete, Roberto Carlos, Cauby Peixoto, Agnaldo Timóteo, Jane e Herondy, Cláudia Barroso, Waldik Soriano, Carmem Silva, Luiz Gonzaga, Trio Nordestino, Trio Mossoró e muitos outros.

Uma das figuras mais conhecidas da emissora, que participou dos seus quadros desde o início, foi Manoel Alves de Oliveira, mais conhecido como Seu Mané, que revelava ter tido o prazer de abrir os microfones da Rural para o presidente João Goulart. Seu Mané se popularizou apresentando grandes programas como “A Rural, O Sertão e Seu Mané”, “Rural Joia Joia”, “Rural as suas ordens e mensagens musicais”, “Seu Mané Toca Tudo” e a “Hora da Coalhada”.

1964

Ditadura Militar

A Rádio Rural sofreu perseguições na ditadura militar, em 1964. Os militares monitoravam toda a programação.  Várias vezes o bispo Dom Gentil Diniz Barreto foi chamado a prestar esclarecimentos junto às autoridades do governo (comando militar), em Caicó.

Comunicar a Igreja

Nestes 58 anos, a Rádio Rural transformou-se em permanente instrumento da evangelização da Diocese de Mossoró, à medida em que ampliou e amplia a voz de seus pastores e permite a divulgação dos ensinamentos do Evangelho, além de servir de apoio à luta de todos aqueles que se colocam a serviço da vida.

Memória – Desde 1963, motivada pelo espírito de comunhão e partilha, a Rádio Rural visa contribuir para a educação, cultura e cidadania, mas sempre agindo com lealdade aos ensinamentos evangélicos através de programas que fizeram e fazem história na programação da emissora, como a transmissão dominical da Santa Missa, às 09 horas, direto da Catedral de Santa Luzia em Mossoró, a chamada Missa da Diocese. Abrindo a programação da Rural, a partir das 5:30 da manhã, Caminhando com a Igreja, inicialmente apresentado por Padre Guimarães Neto e agora Padre Walter Collini; Mensagem de Fé, nos anos 60, com Monsenhor Huberto Brunnig; Comentário da Rural com Monsenhor Américo, sempre com temas sociais sob a luz do evangelho;

Cante a Esperança com Marcos Antônio;  É Tempo de Falar com Padre Guimarães; Sua Hora com Santa Luzia, durante o período da Festa de Santa Luzia e toda programação, de 03 a 13 de dezembro.

Na grade atual, Caminhando Com a Igreja com Padre Walter Collini; Terço da Misericórdia; A vida é Missão, do Comissão de Missão Diocesana (COMID); O Chamado, apresentado pelos Seminaristas do Serviço de Animação Vocacional Diocesano (SAV); Aprendiz da Palavra numa produção do CEBI; Shalom no Ar, da Comunidade Católica Shalom; Obra de Maria; Mãos Ensanguentadas de Jesus, apresentados pela equipe do MEJ Mossoró. Em parceria com outras emissoras católicas como RCR, Rádio Aparecida e Rádio Evangelizar, transmite Experiência de Deus com Padre Reginaldo Manzotti e Com a Mãe Aparecida. O Jornal da Diocese, de segunda a sexta-feira, trazendo as principais notícias da nossa Igreja. Assim, a Rádio Rural se torna cada vez mais A Voz da Diocese, como fala o Bispo Diocesano Dom Mariano Manzana.

Credibilidade na informação

A programação da Rural está baseada no tripé: evangelizar, entreter e informar. A emissora sempre optou por um radiojornalismo imparcial e atual. A programação é composta por temas atuais, debates, notícias de repercussão nacional e internacional. Assuntos do mundo cristão e da sociedade como um todo. Tudo isso com uma marca muito forte, a da credibilidade, que resulta num maior feedback por parte de seus ouvintes.

Cultura

Concurso A Mais Bela Voz – Dos festejos populares da Festa de Santa Luzia, toda a área cultural voltava-se para os grandes shows nos palcos do concurso “A Mais Bela Voz”. A Rural tornou-se, ao longo de sua história e, principalmente, pelo fato de ser o único veículo oficial de divulgação da Diocese de Mossoró, uma parceira ímpar da festa dedicada à padroeira da Diocese, comemorada entre os dias 3 e 13 de dezembro. Desde a década de 60, com os primeiros ensaios, o Festival da Juventude, PROFÉ, Festival

dos Municípios e a Mais Bela Voz tiveram um alcance muito grande no que se refere à revelação de grandes talentos. A Mais Bela Voz teve o patrocínio por um bom tempo da Petrobras, através da Lei Câmara Cascudo de incentivo à cultura, e do Governo do Estado e revelou talentos como Amanda Costa, Zé Lima, Vicente Santiago, Ed Lemos – sucesso em países como Itália e Portugal e Reynaldo Bessa, que hoje vive da música em São Paulo, e muitos outros. No momento, o concurso está suspenso.

História através do som

Usamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência.